sexta-feira, 21 de dezembro de 2012

PISCINA GELADA


Hoje eu me CASO.
Ouvi alguém dizer que o casamento é como uma piscina gelada... Sabe? O primeiro otário se joga lá dentro e fica gritando para os outros: -Vem! Vem que a água tá boa!
Buenas... Eu tenho compartilhado a minha vida com a senhorita Barbara por quase 8 anos. 8 anos! É muito tempo! Em 8 anos uma árvore é plantada e já faz sombra. 8 anos são duas Copas do Mundo. 8 anos são duas eleições para presidente da República Riograndense. Em 8 anos um guri nasce, aprende a caminhar, joga futebol, anda de bicicleta (em alguns casos não). Em 8 anos o Internacional ganhou duas Libertadores e um Mundial Interclubes ( Mundial este com participação de clubes de cada um dos continentes mesmo e não apenas um amistosinho entre Europa e América Latina). E é aí que quero chegar.
Eu não sou muito supersticioso, tanto é que marcamos a data do nosso casamento para o dia do Fim do Mundo segundo os Maias ( aliás eles não acertam uma!), mas algumas tradições para mim são sagradas, por exemplo, se eu assisto a um Gre-nal com uma certa camisa e o Colorado toma uma chapuletada, com certeza não a repetirei em jogos do Inter. Não que eu acredite em magia ou algo assim, mas de repente aquele fardamento atrapalhou no equilíbrio das forças do mundo, o que com toda a certeza influenciaria na derrota Colorada.
Mas tem uma coisa em que eu acredito: Os nossos atos pregressos nos colocaram aqui.
Qualquer ato.
Aliás, todas eles.
A cueca que eu coloquei ontem, a corrida de quarta-feira, a festa de fim de ano semana passada, o porre do carnaval, a viagem do ano retrasado e assim vai...
Sabe o efeito Borboleta? Uma borboleta batendo as asas em Quintão pode causar um Tsunami nos EUA (chupa EUA!) é isso.
Cada pequena passagem da nossa vida mexeu um pouco no tecido do tempo e nos trouxe até aqui.
Não sei por que eu e a nega véia nos apaixonamos, sei que a gente se viu numa festa estranha, com gente esquisita... Depois saímos, nos conhecemos, como já havíamos feito com outras pessoas e começamos a namorar como também já havíamos feito com outras pessoas. Mas em algum momento neste tempo que passamos juntos ela e eu nos demos conta de que nossos pequenos atos eram complementos um do outro, nossas loucuras se batiam, nossas batidas eram em sincronia, eu precisava das escolhas dela, e ela das minhas. Nossos atos nos fizeram unir os trapos.
Nossos atos juntos me fizeram ser um homem melhor.
Depois que a conheci, viajei bastante, melhorei como churrasqueiro, como surfista (até troféu ganhei!), como professor, como atleta, como filho e como amigo. Depois que a conheci o Colorado ganhou tudo o que podia (não que eu seja supersticioso)! Compramos nosso canto e somos muito felizes por lá.
Quase 8 anos e agora eu vou me jogar na piscina gelada!
Mas não vou entrar devagarinho, estudando para ver se é mesmo gelada, colocando o dedinho para sentir o frio. Me jogo dando uma ponta! Sem medo de congelar o saco!
Todo mundo sabe que no início a piscina é fria, mas depois o corpo se adapta e a gente curte, nada, brinca e se diverte até o sol se pôr.
E àqueles que ficam do lado de fora para ver se morro de hipotermia, ou nado com tranquilidade nesta piscina, deixo uma carta de alforria:
Coloco as algemas para ser um guru, um estariéts, um Buda, um guia espiritual para todos aqueles que quiserem as palavras sábias de um homem acima de suspeitas um HOMEM agora CASADO!  

Nenhum comentário:

Postar um comentário