quinta-feira, 20 de agosto de 2009

Capítulo 5 & 3/4!! - "Solta o Braço Charlie!"

Após mais um fim de semana no mínimo conturbado estilo "semdestino.com.br", voltei ao filosofias cheio de idéias confusas, mas desta vez não hesitarei, não arredarei o pé antes de terminada minha missão com este blogspot.

Então, sem muitos rodopios vai lá a pedrada, digo a salgada:

Após os resmungos de Moustache, que enfim aceitou a embriagada companhia de Lujiano nesta saga em Kronenbier, quero dizer Sombrio, Contrinha deu o braço a torcer e largou mais uma das canções do Sisao que versava mais ou menos assim: "- Nobody knows the way it's gonna be..."
Antes de chegar no BE da canção, Contrinha foi acalentado por um supapo de Charlie.

Naquele exato momento todos que estavam ali presentes escutaram uma voz que veio do além que se misturava na cantoria de Contrinha, porém, a voz era muito parecida com a de Galvão Bueno narrando aquela bola levantada por Bruno Resende e cortada por Giba numa final de Grand Prix de Volei, a única diferença era que para o azar de Contrinha a bola foi a cabeça dele e a voz dizia: "- SOLTA O BRAÇO CHARLIE!!!"
E Charlie soltou mesmo. Soltou o braço sem piedade jogando Contrinha na lona. Charlie estava à beira de um colapso mental tentando encontrar uma saída para o seu maior problema: a cerveja(ou seria solução no caso dele). Mas de nada resolveu Charlie descontar sua fúria em Contrinha, foi mais uma carcaça para carregar em seu lombo já que Guile não havia reagido, continuando seu sono de Droga adormecida...


Capitulo 6 neste mesmo blog, ou em qualquer lugar!!

5 comentários:

  1. Boa, boa. Mas agora... que missão p/mim... quem vai carregar esses dois merdas no lombo!!???

    Aguardem, sábado a noite estará no ar o 6º capítulo, em www.oceanopensante.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Meu... Eu disse q não ia, mas me senti motivado, com essa aparição especial do lujiano, a colaborar um pouquinho... Eu achei uma bosta, mas se encaixar na história... enfim, abraço!!

    ---------------------

    Contrinha, ainda no chão, com a mão na boca limpando o sangue que saia dos lábios encarava Charlie e dizia:

    -Why did you do this to me, man?

    E Charlie deu mais um bico nas paletas de Contrinha "só pra ele deixar de ser viado." E quando fez menção de ir para cima novamente, Salgmano e Roberto o detiveram. Ele estava alucinado, fora de si. Salgmano o pôs contra uma árvore e fitou-o nos olhos: vidrados.

    - Roberto, olha isso...
    - Caraca, véio!! O Charlie tá locão!!

    Os tentáculos da imperatriz estavam por toda aquela terra, sugando todo o álcool que um dia existira naqueles campos de cevada que outrora eram dourados e promissores, e espalhando sua influência sobre aqueles que bravamente ousavam erguer-se contra. Charlie era vítima de um dos lacaios da imperatriz. Um "mini-boss" de video-game, por assim dizer. Um fantochezinho de merda, mas mesmo assim conseguiu distorcer a visão sempre clara de Charlie, justo dele, um menino que possuia um auto-controle inatacável... Salgmano, Roberto e Moustache o seguraram firmemente enquanto Contrinha o atava à árvore, infelizmente utilizando e destruindo uma bandeira da Grã-Bretanha, única coisa à mão naquele momento, para que pudessem pensar melhor no que fazer.

    - Pssssssss... Essaê ta fudido dusmê - disse Lujiano -, queli goró qui u coisa lá boto pra'ceis bebê... Não! Esquece, isso foi o Jeremia... Maaaaaaaaaasi, como eu tava falãnu, queli troço lá que o Robocop ae bebeu, véio... Aquiloá é veneno, véi!! Tem que dá u antxutidu prel...

    Salgmano, Roberto, Moustache e Contrinha - com a mão na barriga e uma cara de cu -, entre olharam-se e perguntaram:

    - Quê?

    Lujiano concentrou-se e tentou novamente:

    - O antistiudto... ditudo...
    - Ah! Eu já sei o que ele quer dizer! - pontuou Salgmano, ao que todos pediram que então, lhes informasse.
    - Cara... É aquele troço lá. Que tem o veneno, né? Daí, é contra o veneno, tá ligado?
    - Contra o veneno? Uma vacina? - perguntou Roberto.
    - Não! É aquele trocinho assim, que fica num frasco e tal.
    - Grrrrrrrawwwwwwwwhh....?? - buenas, isso foi o que Moustache grunhiu, mas como ninguém entendeu, deu na mesma.
    - Ã... Acho que não Moustache. É anti... Anti-transpirante, não. Anti-alérgico...
    - Antilhas! - manifestou-se Guile, para logo apagar novamente.
    - Antídoto! - gritou Contrinha.
    - Isso! Antídoto! E precisamos encontrá-lo antes que Charlie agrida mais alguém... Se bem que isso ele faz mesmo que não esteja locão, mas enfim...

    ResponderExcluir
  3. E nessa tortuosa estrada, em que infelizmente todos andavam em linha reta devido à sobriedade, havia mais essa missão: encontrar o antidoto para Letr... Digo, Charlie. Desde que pisaram em Sombrio, já eram duas as baixas na equipe. E apesar da dica de Lujiano, estavam definitivamente perdidos. Onde achariam o antídoto? E aquele "fog-londrino" que avistavam no horizonte, o que seria aquilo em verdade? Resignaram-se e, quando decidiram pôr o pé na estrada novamente, Mestre dos Tragos materializou-se uma vez mais:

    - Bah... Cês tão numa ruim, né gurizada?
    - Ô Zé, na boa cara, ou tu dá uma luz ae ou vaza e não enche o saco - disse Salgmano, com sua característica polidez.
    - Hum... Seguinte gurizada: aquela nuvem lá pode ser qualquer coisa. Aquilo lá é o que cada um de vocês deseja e pode ser lá, inclusive, o lugar aonde o antídoto é armazenado.
    - Mas peraí - interferiu Roberto -, se aquilo lá é o que cada um de nós quer, então isso quer dizer que todos nós ficaremos sabendo dos desejos dos outros?
    - É... É mais ou menos por aí, pequeno gafanhoto, mas eu não conseguiria expressar isso de uma maneira que não soasse meio tixa, se é que tu me entende...
    - E quanto ao Guile? - perguntou Salgmano.
    - Esta é a missão dele: ser um fardo pra vocês.

    Quando Mestre dos Tragos disse isso, todos olharam para Guile, que continuava dormindo misteriosa e inabalavelmente. Claro que quando tentaram fazer mais uma pergunta para Zé, ele já havia evaporado, mas isso eles meio que já esperavam.

    ResponderExcluir
  4. Eu diria, sensacional. Fantástico!

    Além de ter quebrado um galho p mim, visto q to atarefado de coisas, então.... GuidjeLeGamba, darei-me o luxo de fazer das tuas palavras, da tua criatividade, o 6º. capítulo desta Ébria Saga, postando tuas escritas acima no em meu blog (com teus devidos créditos, claro).

    Mta ceva p/nós, e p/garotos de Sombrio.

    ResponderExcluir
  5. Tá lá já, no www.oceanopensante.blogspot.com, o 6º Capítulo de A Caverna do Salgão (escrito por GuidjeLeGamba).

    ResponderExcluir